sexta-feira, dezembro 24, 2004

Nelinho dos Congros

Qualquer poveiro se lembra da sua original figura, caminhando na Junqueira enquanto falava ao telefone. Dir-se-ia precursor do boom do telemóvel. Alguns afirmam que o ouviram a falar com a mãe para Paris, entusiasmado com um concerto do Marco Paulo que ia assistir nessa noite; outros que o assistiram a orientar o trânsito num cruzamento perto dos Correios. Faz certamente parte do imagiário Poveiro.

7 Comentários:

Blogger mfc disse...

Com um telefone azul e o fio amarelo enrolado...!

2:28 da manhã  
Blogger Bruno disse...

Se me lembro!!:D
Mítica figura, que costumava andar muito pela zona da Junqueira/Garrett, com o seu "telefone brinquedo" com a corda pendurada (suposta ligação do auscultador arrancada ao aparelho que se crê ter em tempos existido)...gritando "Ponte da Barca", mas que passava por uma pequena metamorfose linguística e se transformava...em algo que não vou transcrever devido à bruteza de conteúdo da expressão!:D

2:31 da manhã  
Blogger Bruno disse...

Melhor do que o Nelinho só mesmo o Pilas!!!!
É lembrar-me da personagem que ia para a frente do palco em concertos com pouca afluência ao ar livre e "moshava" sozinho, e desato sozinho à gargalhada!! (não esqueçamos que se fala de alguém que tinha um look rockabilly e um equipamento de guarda-redes do V.S.C!!)

2:36 da manhã  
Blogger lopes graça disse...

mmmm... após exaustivo esludo / leitura deste blog, o m´+inimo que posso comentar é que o autor não sabe escrever!!! um curso primário aconselha-se! cordialmente, lopes graça! e foda-se o poveiro!

7:18 da tarde  
Blogger Catritas disse...

Esludo,ó Lopes? O melhor é mesmo começar vossa excelência por um curso intensivo e pode ser que da próxima tenha alguma graça!

8:19 da tarde  
Blogger Bruno disse...

Ironicamente, é o comentário do que se intitula de Lopes-Graça que nos aparece com erros primários!
Cá para mim, bem se dispensam comentários "bota-abaixo" sem razão de ser num sítio onde se quer pertinência na intervenção e discussões salutares...
Ah, e, já agora, faça-nos a todos o favor de mudar o apelido, visto já haver um grande compositor português (já falecido) com esse nome e, por esse facto, alguém poder por isso pensar que tenta alguma espécie de conotação, o que seria patético...

8:21 da tarde  
Blogger lopes graça disse...

Perceberam a ironia. Parabéns.

Bruno, vou ver o que é necessário para mudar o nome no registo civil!

1:46 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home