sexta-feira, outubro 08, 2004

T.G.B.

Combóio rápido à moda do Porto? ("Train à grande bitèsse?) Quase... Tuba, Guitarra e Bateria. Sérgio Carolino, Mário Delgado e Alexandre Frazão, respectivamente.
A formação é original, a abordagem musical também.
As apresentações ao vivo falam por si, mas temos disco!
Raro! Um agrupamento desta qualidade e já com produção discográfica!
O domínio dos instrumentos é fascinante e partilhado pelos três elementos. Dá para sentir orgulho, ver como brilham.
Portugal não é um amontoado de coitadinhos à espera de oportunidades caídas do céu. Há gente com talento e disposta a usá-lo, gente que sonha e concretiza, gente que não precisa de ir lá fora para realizar obra, gente que luta... cá dentro!

7 Comentários:

Blogger BeanSprouts disse...

Antes d mais peço desculpa pelo tamanho... dava quase um POST!! Entusiasmei-me!

Sim, e nao!!!!! E assim, sem dúvida TGB é muito bom!!!! Com pena minha nunca os vi ao vivo juntos.Porque já os vi noutras formações.

quote

" Portugal não é um amontoado de coitadinhos à espera de oportunidades caídas do céu".

Portugal É um amontoado de coitadinhos à espera de oortunidades caídas do céu. A prova disso é que há muito poucos "TGB"´s. E os que há, se já não passaram "lá fora" têm muitas influências do "lá fora".... TGB ... conheço- Só conhceço bem o T, ou seja o Sérgio e aí estás muito certa. O Sérgio é um lutador, está sempre a tentar fazer coisas em Portugal ... e lá fora também!!!
Não consegui perceber se estás a fazer um criticismo aqueles que vão para o "lá para fora" ou não. Se calhar sim, se calhar não. De qualquer maneira, como 1 daqueles que foi ( e está) "lá fora" gostaria de dar a minha opinião :

Como deves saber, estou cá a estudar e ainda não sei o que quero fazer depois...provavelmente vão ser as oportunidades de trabalho e de realizaçao pessoal que o vão dizer. O ideal seria eu aprender o máximo de tudo aquilo que puder aqui - não só música mas de tudo - e depois levar essa experiencia/informaçao para Portugal ( e começar pela Póvoa, porque não ou?) mas pode ser difícil sabes? Antes de vir para aqui,tinha trabalho todos os dias : tinha a escola, dava aulas num escola privada,tocava ( e ainda toco quando estou aí) nos The FingerTrips - eh eh publicidade - e fora as bandas todas que havia. Agora,ao fim de 2 anos sabes qual é o trabalho que tenho aí? É ZERO!!!!! Nada. Ninguém me conhece. Daqui a 2 anos acabo o curso. Fixe!!! Mas ... e o empréstimo que tenho para pagar? Tenho que o pagar de qualquer maneira... se eu não tiver trabalho em Portugal o que faço?! Fico aqui! Vai-me custar, é verdade. Sou demasiado sentimental e estou demasiado ligado ao meu país, à minha terra ( ou terrinha :) ), às sardinhas, ao S.pedro, ao chouriço assado, à Super Bock fresquinha ... enfim a tudo!!!! Mas por outro lado fui melhor tratado aqui do que aí, tive mais oportunidades, aprendi mais e melhor, vi e fiz mais coisas ( boas e más ). Não quero com este comentário ser " o coitadinho que vai bué de dificuldades". NÃO!!!! Não é isso, só tentei justificar as minhas decisões e as das outras centenas e músicos (e outros) que decidem sair do país. É realmente outra dimensão. Acho que toda a gente devia ter pelo menos uma vez de ir a outros sítios. Sabias que na Islandia (200mil habitantes e só 150mil na capital) depois do 12ano tiram umas "férias" para viajar normalmente para recolher informações sobre a área em que querem trabalhar. Não achas isso fantástico? E ainda por cima com a ajuda do governo?

Mesmo estando cá fora, luto e lutarei, cá dentro, ou melhor aí dentro. Quero ser dinâmico e fazer coisas novas, diferentes ( isso é TGB - novo, diferente e de boa qualidade).

E vou,vamos conseguir. Tenho a certeza que esta tendência para os superiores nos quererem embrutecer vai mudar e nós vamos conseguir ser melhores.

Mais uma vez peço desculpa pelo tamanho, de verdade que me entusiasmei...... :)

1:15 da tarde  
Blogger Vânia Oliveira disse...

Em primeiro lugar, queira agradecer o comentário. É isto que tem piada.
Em segundo lugar, queria saber quem o fez. " Como deves saber, estou cá a estudar", não sei quem leio, não sei mesmo... E não, não critíco quem vai lá para fora e sim, quero viajar por esse mundo e conhecer outras realidades. Quero viver noutras cidades e noutros países, sem dúvida que quero! Quem sou eu para criticar quem sai para tentar uma vida melhor, ou quem fica, rezignado. Só estou cansada do sentimento geral de pena que os portugueses têm de si próprios! Não há pachorra! É um raio de um complexo de inferioridade insuportável!
Só para ilustrar,quando era miuda, surgiu a oportunidade de a Orquestra de Cordas da Escola de Música da Póvoa ir à Bélgica. Nenhum de nós queria ir, pela humilhação que tinhamos como certa. E porquê? Porque eles eram a Europa culta e civilizada e nós uns aprendizezinhos da costa... Acabamos por ir. É claro que não poderemos julgar o todo pela parte. Podemos apenas comparar com o que vimos. O nosso grupo era muito melhor que o deles. As nossas cordas friccionadas deram cartas e os nossos grupos de percussão abismaram as plateias.
Se tivesse dependido de nós, elementos da Orquestra de Cordas, nunca lá teriamos ido só com medo da vergonha que iamos passar...

3:42 da tarde  
Blogger BeanSprouts disse...

Hmmmm... é justo.... já percebi então o que querias dizer... foi uma questao de(não) interpretação de ironia!!! Mas de qualquer maneira penso que o meu comment (post!!!!!) não foi em vão e como eu já disse quero dar a conhecer a minha experiência de sair.. esta é uma boa maneira!
Abraço a todos

4:47 da tarde  
Blogger Catritas disse...

Fiquei curioso...TGB? Já vi o Alexandre frazão tocar e caíram-me os queixos...Ele e o João Paulo Esteves da Silva estão na galeria dos grandes concertos que vi em Coimbra.Gostava de acrescentar que é curioso que, em período de globalização e de desterritorialização, continuemos a utilizar as expressões "cá dentro" e "lá fora". Será uma consequência de sermos um país periférico e atrasado?

6:05 da tarde  
Blogger BeanSprouts disse...

Hmmmm se não conheces podes ir a www.tubanews.com e tens lá alguns downloads de TGB disponíveis.

Penso que ainda faz muito sentido falarmos no "cá dentro" e "lá fora" . A europa ainda não está tão unificada como para sermos um só país. Ainda há muitas diferenças.Diferenças culturais, de mentalidade ... de tudo. Um dia vi um artigo de algum dirigente europeu que achava por bem mudar o nome da União Europeia para UNE - United States of Europe!!! É ridículo daqui a 20anos (ou nem tanto) acontecia como na Ex União Soviética. Infelizmente, ainda sinto a necessidade de dizer "cá dentro" e "lá fora" ou melhor... "aí dentro" e "cá fora".

7:45 da tarde  
Blogger Trocado disse...

Aliás, se há aí alguém que «foi para fora» foi o Frazão. É brasileiro. Veio para Portugal.

7:38 da manhã  
Blogger BeanSprouts disse...

:) nunca melhor dito!!!!

1:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home