quarta-feira, setembro 29, 2004

O Milagre da Música

É sabido que a vida de um músico é uma vida muito solitária. E não é só a dos grandes intérpretes, que não permanecem em lado nenhum por tempo suficiente, sempre a dar concertos por esse mundo fora, a dos meros mortais também assim é. São muitas as horas partilhadas apenas com um objecto inanimado, tentando transformá-lo no veículo perfeito de transmissão das nossas emoções mais recônditas; muitas horas a lutar contra as limitações físicas, as dificuldades técnicas; muitas horas a ouvir, para comparar e aprender ou receber influências estilísticas; muitas horas a analisar, para tentar compreender quais as intenções dos génios criadores das maravilhas que nos vêm parar à mão, legados com séculos de existência...
O desânimo instala-se muitas vezes. A solidão corrói...
Dias como o de hoje, fazem-me recordar a razão pela qual escolhi esta forma de estar na vida, muito mais que uma profissão. Não é só a devoção pela Música, não chega!
Foi um mero ensaio... nem sequer foi um concerto. Nos concertos acontecem sempre fenómenos extraordinários de comunicação com o público. Uma coisa esquisitíssima, que me fascina! Cada concerto é único e irrepetível. Nada do que ali se passsa é passível de ser explicado.
Um simples ensaio. Cinco pessoas, um quarteto de cordas e um «invasor» clarinete. Brahms.
Por acção de simples músculos em movimento, uma sala de concerto adormecida, ganhou vida por uns instantes... Brahms desceu sobre nós...
Foi a primeira vez que nos juntámos como quinteto, a primeira vez que tocámos esta obra. Gostaria de saber o que pensaria um habitante de outro planeta que ali entrasse, de repente, ao ver cinco pessoas com objectos diferentes nas mãos, a construirem um universo sonoro uno e coeso, a partir de folhas de papel todas diferentes umas das outras, cheias de simbolozinhos engraçados, fundindo-se como por obra de um tecelão mágico invisível... Desafiava-o a tentar descrever as sensações que fosse experimentando... Eu não consigo descrevê-las...
Olhares furtivos, coordenação de movimentos... até a respiração destes cinco elementos lhes permite comunicar, sem terem necessidade de trocar uma só palavra. E como comunicam!
É maravilhoso tomar parte de experiências como esta e alimentar o corpo e a alma com esta forma de Arte. Considero-me uma privilegiada!
O meu amor pela ciência é enorme! A opção não foi fácil. O meu cérebro continua a reclamá-la... Mas por maior descoberta que eu fizesse, tenho a certeza que nada se equipararia ao arrepio na espinha, reacção visceral, provocado pela combinação sábia de sons, em harmonia... e o quão gratificante é sentir-me parte integrante desse milagre, que é a Música...

4 Comentários:

Blogger Catritas disse...

Saber tocar um instrumento é um dom...sabe-se o quanto é difícil mas deve valer a pena. Os concertos são de factos acontecimentos únicos,irrepetíveis,mágicos. Quando é o próximo?

6:49 da tarde  
Blogger BeanSprouts disse...

e sim um vida solitaria, sem duvida alguma! Mas muito por nossa culpa...existe tanto pelo Mundo fora para ver... porque raio e que os musicos se fecham em si mesmos e se esquecem disso. Penso que se deve conseguir um equilibrio entre a solidao musical ( se que que isso existe)e o resto. E dificil mas temos que trabalhar para isso. O nosso problema e q por vezes nos fechamos demasiado na "nossa" musica e esquecemo-nos que somos muito mais do que musicos... Somos PESSOAS!!!!
Portanto Vania s sentes falta da tua ciencia... sai e anda a procura dela! Garanto-te que vais ser uma pessoa muito mais feliz se conseguires o equilibrio entre as 2 coisas!!!
Como a minha "amiga" maria Cachucha diz, Sou quem sabeis
BeanSprouts

7:41 da tarde  
Blogger ptolo disse...

Um blogue colectivo da Póvoa? É novidade, de certeza...

12:09 da manhã  
Blogger Vânia Oliveira disse...

Saber tocar um instrumento é um privilégio, isso sim. Próximo concerto dia 5 de Novembro, mas não é na Póvoa... É deste quinteto de que falo, mas em terras beirãs... Penamacor, se não estou em erro. É só aparecer, Cátri! Tenho quarto de hóspedes no meu apartamento ;P
Na Póvoa, só da Orquestra Sinfónica da nossa terrinha, e só em Dezembro, concerto de Natal como manda a sapatilha: Strauss e essas coisas. Está agendado para 17 de Dezembro, creio.
BeanSprouts: who are you????

3:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home